Moradores de Conceição de Itaguá se reúnem com diretoria da COPASA

Comissão criada na última audiência pública em Conceição de Itaguá entregou ata com reivindicações da comunidade.

A Comissão criada na Audiência Pública com a Copasa realizada em Conceição de Itaguá (veja aqui e aqui) se reuniu na tarde do dia 07 de maio, em Belo Horizonte, com a diretoria da estatal.

Na ocasião, estiveram presentes os representantes da comunidade, Vereadora Alessandra do Brumado, Rozilene Maciel, Ana Lúcia Reis, Adilson Sales e Sirleno Gonçalves. Participaram também o Diretor Metropolitano da Copasa, Rômulo Perilli e o Gerente do Sistema Rio Manso designado para acompanhar a comunidade, Mauro Diniz.

Os representantes da Copasa apresentaram o projeto que pretende captar 5.000 litros de água por segundo do Rio Paraopeba diretamente para a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Complexo Rio Manso. Deverão ser investidos, para esta obra, recursos na ordem de 120 milhões de reais. A captação deverá ser sazonal, sendo que a água será captada apenas no período em que o Paraopeba tiver grande volume de água. De acordo com Rômulo, estudos relativos a esta captação foram feitos e encaminhados para o órgão ambiental do estado.

Esta notícia gerou um certo desconforto pois o projeto não foi apresentado para a comunidade de Conceição de Itaguá que serão os principais impactados pela obra.

Esgotamento Sanitário

Rômulo apresentou a proposta de fazer um tratamento simplificado de esgoto em Conceição de Itaguá. Esse projeto será desenvolvido e apresentado à comunidade. A princípio, a Copasa vai aumentar a vazão vertente para o Rio Manso, de forma a dar mais volume ao curso d’água, fazendo com que detritos sejam carreados e o volume de esgoto diluído.

Água da Copasa X Abastecimento local

Sobre a possibilidade de se colocar uma rede da Copasa na comunidade permitindo que haja um sistema de abastecimento alternativo, sem prejuízo para os moradores que preferirem fazer uso do abastecimento comunitário já existente, Rômulo afirmou que não há objeções por parte da Copasa. Todavia, a instalação de rede pela Copasa implicará no pagamento da taxa mínima cobrada pela empresa por parte dos moradores mesmo que não façam uso da rede da estatal.

Pavimentação de estradas

A Copasa afirmou que vai estudar a possibilidade de pavimentar tanto a estrada que liga Brumadinho à conceição de Itaguá, quanto a Estrada do Cruzeiro, ambas utilizadas também pela empresa.

Alça Viária

Sobre a alça viária, foi dito pela empresa que tal obra não é mais condicionante, portanto não tem obrigação de ser feita e que a comunidade deveria “lutar” por essa alça por outras vias. Rômulo sugeriu pleitear a construção da alça junto ao Governo do Estado. Alessandra se posicionou contrária a esta alternativa por entender que a construção da alça viária deve ser uma medida compensatória pela realização da obra de captação de água no Rio Paraopeba, o que impactará significativamente a comunidade. “Essa captação é um aditivo à Parceria Público Privada (PPP) entre Copasa e Odebrecht e a comunidade tem o direito de ter uma medida compensatória por esta obra”, afirmou Alessandra.

Também foram discutidas rotas alternativas para a entrada de caminhões e equipamentos na Copasa. Uma das opções seria a via que liga a estrada da Conquistinha à ETA do Rio Manso e que hoje é utilizada pela Odebrecht.

Poço no Retiro do Brumado

Está evidente a má vontade da Prefeitura de Brumadinho em colocar energia elétrica para promover o funcionamento da bomba do poço que foi perfurado pela Copasa e Odebrecht para promover a melhoria do abastecimento do Bairro Retiro do Brumado. Basta que a Secretaria de Obras faça o peido para a Cemig e encaminhe o número de protocolo para a própria Copasa para que possam agilizar o processo de instalação da rede elétrica, mas, estranhamente, a Secretaria de Obras parece não ter interesse em ajudar a população do bairro.

Rômulo Perilli afirmou que a Copasa irá responder oficialmente e por escrito todas as reivindicações da comunidade até a próxima semana.

Para a Vereadora Alessandra do Brumado, a reunião não foi muito positiva. “A comunidade está cansada de esperar e ser enrolada. Precisamos tomar medidas mais enérgicas para fazer valer a vontade e o direito dos moradores de Conceição de Itaguá e Retiro do Brumado. Não pretendemos desistir da alça viária ou de outra alternativa para tirar o trânsito de caminhões e equipamentos pesados de dentro da área urbana do distrito, o que tem prejudicado em muito as residências e a mobilidade em Conceição de Itaguá. Vamos ponderar, junto com a comunidade, quais serão os próximos passos”, ressaltou.

01 02

Veja abaixo o encaminhamento da ata da reunião da Comissão para o Diretor Metropolitano da Copasa, Rômulo Perilli:

Scan0273 Scan0274

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s